14/01/2016 às 15h22m - Atualizado em 14/01/2016 às 15h43m

Pernambuco: Relatório aponta série de irregularidades em sete hospitais do Grande Recife

Foi constatado problemas de superlotação, leitos de UTI fechados e falta de insumos

https://scontent-mia1-1.xx.fbcdn.net/hphotos-xaf1/v/t1.0-9/12439327_942899135804810_1939582480835992079_n.jpg?oh=94dbf14beccd3cfddf1a7885ef5a6569&oe=56FD8A48

O Conselho Regional de Medicina divulgou, nesta quarta-feira (13), o resultado de uma série de fiscalizações realizadas nos principais hospitais do Grande Recife. O relatório foi apresentado em uma reunião do Conselho com os diretores dos hospitais para entender a real situação.

Foi constatado, nestas visitas, problemas de superlotação, leitos de UTI fechados por falta de equipes e falta de insumos, como gases, luvas e medicações, em sete hospitais públicos: Hospital da Restauração, no Derby; Barão de Lucena, na Iputinga; Hospital Pelópidas Silveira, no Curado; Getúlio Vargas, no Cordeiro; Hospital das Clinicas, na Cidade Universitária; Dom Hélder, no Cabo de Santo Agostinho; e Hospital Otávio de Freitas, em Tejipió.

Neste último da lista, o Cremepe encontrou a situação mais grave, com leitos e corredores superlotados. A quantidade de pacientes prejudica, inclusive, a circulação de maqueiros. Caso não sejam adotadas medidas para resolver os problemas, o Cremepe pode pedir a interdição ética da unidade de saúde.

De acordo com o presidente do Conselho, Sílvio Rodrigues, um relatório será enviado ao Ministério Público e eles vão solicitar uma audiência com o Governador de Pernambuco, Paulo Câmara. “Nós vamos dar um prazo para que os problemas sejam solucionados, pois a crise não pode justificar esses tipos de problemas”, concluiu Silvio.


Da TV Jornal

Comentários

Outras notícias