13/01/2015 às 08h34m - Atualizado em 13/01/2015 às 11h01m

Ana Arraes, mãe de Eduardo Campos pode disputar senado em 2018

A afirmação foi feita pelo advogado Antônio Campos, filho de Ana Arraes e irmão do ex-governador

A mãe do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos e atual ministra do Tribunal de Contas da União (TCU), Ana Arraes, pode disputar uma vaga para o Senado em 2018 pelo PSB. A afirmação foi feita pelo advogado Antônio Campos, filho de Ana Arraes e irmão do ex-governador, que faleceu em um acidente aéreo em agosto do ano passado.

"Ana Arraes, minha mãe, poderá se aposentar como ministra do TCU e ser candidata nas eleições de 2018. É uma variável possível. Terão duas vagas ao Senado nas eleições de 2018. Ela é o grande elo entre duas biografias: a de Arraes e a de Eduardo. Teve dois mandatos de deputada federal e serviu ao povo de Pernambuco, que a respeita", disse Tonca em entrevista ao jornal Folha de Pernambuco.

Ele também se colocou como uma possível opção política, desde que não haja conflito com os projetos políticos da mãe e do sobrinho João Campos, filho do ex-governador. "Não descarto eventualmente entrar numa disputa. Depende de como as coisas ficarão nos próximos dois anos", disse.

Tonca, como é mais conhecido, também disse que a hipótese de sabotagem do avião que provocou a morte de Campos não está descartada e que o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, e o prefeito do Recife, Geraldo Julio, ambos do PSB, são lideranças em formação.

Sobre Paulo Câmara e Geraldo Julio, Tonca disse que ambos são "gestores competentes, mas são lideres em formação". Segundo ele,
Câmara e Geraldo não deverão disputar espaços entre si. "O perigo é externo. Trabalho no sentido de fortalecer esses dois políticos que
tiveram suas responsabilidades aumentadas após a morte de Eduardo", destacou.

Sobre o acidente aéreo que vitimou o ex-governador, Tonca disse que "não está descartada a hipótese de sabotagem". Apesar disso, ele observou que "Eduardo estava numa fase muito acelerada e não prestou atenção a alguns sinais. Cheguei a conversar com ele alguns dias antes do acidente fatal, em mais de um encontro que tivemos no Recife e em São Paulo. A Aeronáutica prometeu um relatório parcial para o fim de janeiro. Após isso iremos nos pronunciar", disse.


As informações são do Pernambuco 247

Comentários

Outras notícias