11/01/2015 às 15h24m

Modelo educacional de Pernambuco vira exemplo para o Brasil

De acordo com o Chefe do Executivo Estadual, a visita do ministro representa o reconhecimento do trabalho desenvolvido em Pernambuco nos últimos oito anos.

foto1Quando o assunto é Educação, Pernambuco é um exemplo para o Brasil. A experiência exitosa do Estado, que subiu 12 posições no último Índice do Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), servirá como base para políticas públicas do Governo Federal. O ministro Cid Gomes reuniu-se com o governador Paulo Câmara, nesta sexta-feira (9), no Palácio do Campo das Princesas, para conhecer o modelo pernambucano para a área.

De acordo com o Chefe do Executivo Estadual, a visita do ministro representa o reconhecimento do trabalho desenvolvido em Pernambuco nos últimos oito anos. O governador se colocou à disposição do Governo Federal para ajudar a melhorar a Educação do Nordeste e de todo o País. "Apoiaremos aquilo que for melhor para o Brasil", ressaltou Paulo Câmara.

Com programas de formação para professores e incentivos para alunos, o Governo de Pernambuco conseguiu elevar boa parte dos índices da Educação - o Estado terminou em 4º no Ideb referente a 2013. "A inovação e a tecnologia são ferramentas importantes para tornar as aulas interessantes. Além disso, nós também premiamos, através do Bônus de Desenvolvimento Educacional (BDE), os profissionais que obtiveram bons resultados durante o período letivo", explicou Paulo.

Após reunir-se com o governador, Cid Gomes, que escolheu Pernambuco para fazer a sua primeira viagem como ministro, conferiu uma apresentação sobre o modelo pernambucano, feita pelo secretário estadual Fred Amâncio. Segundo o ministro, o momento é de "compartilhar e ampliar ainda mais os casos que deram certo".

Cid Gomes afirmou que, para elevar a qualidade do ensino público, vai trabalhar em parceria com estados e municípios. "O meu papel como ministro é o conhecer boas experiências e procurar disponibilizá-las com as demais redes públicas do País", enfatizou.

foto2ENSINO INTEGRAL - Sobre Ensino Integral, o governador adiantou que 53% do alunado pernambucano já estuda nesse horário. "Hoje, são 125 escolas integrais. E ainda podemos somar as nossas 27 Escolas Técnicas Estaduais (ETE), que também fazem parte do sistema. O nosso desafio é ampliar essa rede", pontuou Câmara, confirmando que outras 13 unidades serão entregues até o fim deste ano.

Além de buscar novas experiências no campo do Ensino Médio, o ministro expressou ainda a sua preocupação com o analfabetismo. "Gostaria que o governador Paulo Câmara liderasse, em Pernambuco e também no Nordeste, um grande pacto pela alfabetização na idade certa. Sabemos que essa é uma responsabilidade dos municípios, mas os Estados podem fazer um papel importante de articulação e apoio", disse Cid, reiterando o apoio do Governo Federal à iniciativa.

REFERÊNCIA - Em sua apresentação, o secretário de Educação elencou alguns programas desenvolvidos em Pernambuco. O titular da pasta disse que a atual gestão cuidou de elevar a infraestrutura das unidades de ensino e tornar o ambiente atrativo para professores e alunos. "Temos um trabalho diário nas nossas 17 regionais de Educação, que cuidam de aproximar o Estado das escolas", salientou Fred Amâncio, grifando que a Rede Pública Estadual tem 140 mil alunos.

Para aumentar a qualidade nas escolas públicas, o Estado adotou uma política de gestão de resultados. "Aliado à gestão de resultados, que bonifica os que obtiveram bons frutos, nós temos a meritocracia, que, no campo educacional, é muito importante incentivar", completou Paulo Câmara.

GANHE O MUNDO - Entre as inúmeras iniciativas implantadas para estimular o alunado, o programa Ganhe o Mundo foi uma das propostas que mais apresentaram resultados. De acordo com o secretário, o projeto, que oferece bolsas de estudo para estudantes do Ensino Médio, incentivou alunos e familiares. "O Ganhe o Mundo aumentou a autoestima de cidades inteiras, pois é um orgulho ver um conterrâneo da rede pública partindo para intercâmbio no exterior", comentou Fred, lembrando que a bolsa só é disponibilizada para os que tiverem notas boas em português e matemática. Também é preciso passar na prova do idioma escolhido. Em 2014, 1.500 estudantes embarcaram pelo programa.

Além do governador e do secretário de Educação, a reunião contou ainda com a presença do vice-governador, Raul Henry; do secretário de Planejamento e Gestão, Danilo Cabral; do prefeito do Recife, Geraldo Julio; e do senador eleito Fernando Bezerra Coelho. O encontro também teve o reforço de gestores da Secretaria de Educação e da Universidade de Pernambuco.

Comentários

Outras notícias