Black Friday Ubannet

08/01/2019 às 10h47m - Atualizado em 08/01/2019 às 15h47m

Família suspende velório em Alagoas esperando que jovem ressuscite

O velório ocorria na sala da casa de Jéssica Lima, 23 anos, em Delmiro Gouveia, quando parentes tiraram o corpo do caixão e o colocaram em uma cama, eles acreditaram que a jovem iria ressuscitar.

ressutacao

A crença religiosa de uma família e sua dificuldade de lidar com o luto levaram uma multidão ao cemitério de Delmiro Gouveia, cidade do Sertão de Alagoas, no último sábado (5). É que os parentes de Jéssica Lima, de 23 anos, interromperam o velório e chegaram a tirar o corpo da jovem de dentro do caixão na esperança que ela ressuscitasse. A polícia precisou ser acionada e um médico foi chamado para reforçar o laudo da morte depois que dezenas de pessoas se aglomeraram no local para presenciar o ‘milagre’.

Jéssica passou mal no dia 23 de dezembro, quando teve diversas paradas cardíacas e foi internada no hospital de uma cidade vizinha. Após o agravamento do estado de saúde e de uma infecção generalizada, foi dada como morta no último dia 3. O velório acontecia na manhã desse sábado (5), na sala da casa onde morava, quando os parentes disseram ter visto o corpo dela se mexer no caixão e uma tia fez orações e pediu que todos aguardassem, pois ela ressuscitaria em breve.

A informação de que a jovem estava ressuscitando se espalhou pela pequena cidade e a polícia foi acionada, O delegado Daniel Mayer, em entrevista à reportagem do UOL, afirmou que a família se manteve irredutível diante dos esclarecimentos dos oficiais. “Eles disseram que não deixariam levarmos o corpo para uma unidade de saúde para ser examinado, mas convencemos os pais dela a deixar um médico examinar o corpo. Trouxemos o profissional e ele reforçou o atestado de óbito”, afirmou. Com mais de trinta anos de profissão, o médico Petrúcio Bandeira afirmou à reportagem que foi a primeira vez que viu algo do tipo. “É um fanatismo religioso porque não havia o que fazer ali para reverter”, disse.

Enterro

Apesar de contrariados, os familiares concordaram em seguir com os procedimentos e Jéssica foi internada às 17h do sábado, mesmo dia em que a confusão ocorreu logo cedo na residência. Uma multidão se fez presente na cerimônia, ainda na mesma esperança que a família – à espera do momento em que Jéssica ressuscitaria.

Comentários

Outras notícias