02/01/2016 às 23h59m - Atualizado em 24/01/2016 às 10h23m

Série Leituras apresenta: O Sol

Poema escrito por Lidiane Martins em 2009

O Sol

Vejo o Sol pela fresta de minha janela.

Queria muito pegá-lo, mas isso era impossível.

Tenho uma paixão retraída por ele.

Mas sempre que tento me aproximar

É como se todo meu corpo queimasse.

Sinto fortes dores só de pensar que perto dele poderia estar novamente.

Por isso fico de minha janela só a espiar.

Certo dia insistiu em me chamar.

Tentou enviar-me recados.

Discretamente...

Aproximou-se de mansinho e tocou com seus raios em minhas pele.

Provando para mim que nenhum mal me faria.

Não senti nada na verdade.

Acreditei nele.

Entretanto era mentira.

Sofri tanto por chegar tão perto que quase morri.

Ele viu tudo, se afastou de mim e de longe, nem de lá saiu.

Parado estava.

Parado ficou.

Enquanto eu tinha que me esconder.

Porque a minha aparência era insuportável aos olhos humanos.

Mas a dele? Não!

Ele ainda tinha o mesmo brilho e ar de soberano.

De longe encantava qualquer olhar.

De perto cegava até a mente.

Eu sabia que eu era um mero ser iluminado.

Só não sabia que meu brilho era exclusivo para ele, e que só dele.

Vivi minha vida dependendo deste amor platônico para continuar existindo.

Por este motivo é que Ele se sentia muito seguro.

Nada abalava aquele ego de superpoderoso.

Hoje, fico aqui esperando ansiosamente pelo o dia que poderei sair desta reclusão

da qual foi a mim imposta.

Eu sei que não vou ficar eternamente na sombra.

Terei que afrontá-lo.

Para isso me preparo bem.

Porque quando esse dia chegar, não tenho a pretensão de ser assim um ser

dependente da luz de alguém que bagunça com meu ser.

Depois de um tempo já terei me acostumado a ser assim como sou.

Um ser iluminado que aprendeu a suportar o escuro.

Que aprendeu a renunciar um amor doentio para permanecer em plena existência.

Aprendeu com a dor, e as queimaduras da alma para não ter que sofrer por algo

que não vale a pena.

E quando este dia chegar, não me importará se todos afastarem-se de mim.

Já serei um ser resiliente e com orgulho de si próprio.

Porque em uma coisa acredito que o impossível é fato.

Mas que o suportável é possível.


Escrito por Lidiane Martins em 2009
Foto: Internet

Comentários

Outras notícias