Black Friday Ubannet

15/05/2019 às 07h29m - Atualizado em 18/05/2019 às 17h59m

Crônica do Editor: De olho nas eleições municipais do próximo ano em Timbaúba, possíveis candidatos aparecem como salvadores e prometem soluções instantâneas

Fiscalizar o uso do dinheiro do contribuinte é um direito do cidadão, porém 'torcer pelo quanto pior melhor' para a promoção pessoal é uma prática covarde, imoral e tem que ser banida.

timbauba-portico_mocos

Por: Reginaldo A. Silva -

Com a proximidade do pleito em outubro de 2020, a campanha difamatória em redes sociais e em tradicionais veículos de comunicação da cidade se intensificam em Timbaúba a cada manhã. Quase todos os dias o que vemos e ouvimos são pessoas criando factoides e atribuindo aos que fazem o Executivo do município.

Recentemente, no impasse territorial envolvendo Timbaúba e o vizinho município de Ferreiros, ouvimos matinalmente um verdadeiro festival de fake News, citações e acusações levianas com a clara intenção de confundir as mentes dos timbaubenses. Criticar e fiscalizar o uso do dinheiro do contribuinte é um direito do cidadão. Entretanto, temos que ter cuidado, do contrário, algum mercenário presunçoso pode utilizar a situação para tirar proveito. Torcer pelo quanto pior melhor para se dá bem individualmente é uma prática imoral, antiética e tem que ser banida.

Políticos com ou sem mandato eletivo, nitidamente pareciam torcer que o munícipio perdesse as áreas em conflito envolvendo os bairros de Sapucaia e Ozanan para suprir as suas satisfações pessoais, isso talvez, por falta de conhecimento do caso ou pura má-fé.  Em certos momentos, a leviandade é tão visível que formadores de opinião tentam passar a ideia que o fechamento de empresas particulares ou a transferência de órgãos federais e estaduais para outras regiões são prerrogativas do Executivo Municipal.

prefeituraPara reavivar a memória desses pseudos intelectuais que hoje têm soluções instantâneas para todos os problemas do município, a maioria dos descasos vieram de outras gestões. Lembrando ainda que em um passado não muito distante, a maioria dos lojistas da cidade não consentia crediário a servidores efetivos, contratados, comissionados ou aposentados da Prefeitura Municipal de Timbaúba, devido os constantes atrasos nos salários. Atualmente, estes funcionários tiveram as suas dignidades de volta com seus proventos rigorosamente pagos em dia.

As pessoas têm que ter responsabilidade com o que falam ou escrevem, temos de qualquer forma rechaçar esses postulantes a mandatos em Timbaúba que utilizam o tal “vale tudo” para chegar ou voltar ao poder. Temos que começar a analisar a verdadeira intenção desses possíveis pré-candidatos, muitos já tiveram sua vez e não corresponderam a expectativa.

Definitivamente, não merecem voltar a exercer cargos públicos, os políticos ultrapassados e derrotados nas urnas que no passado tentaram comprar a consciência dos eleitores para chegar ao poder ou quem deixou a cidade mergulhada em dívidas milionárias com fornecedores e servidores. A vida pregressa dos que fazem o atual cenário político do município de Timbaúba tem que ser amplamente analisada antes do sufrágio. Em uma democracia, os cidadãos eleitores são os julgadores e os políticos são atores julgados por nós.

Reginaldo A. Silva - Jornalista DRT 6589/PE.

 

 

Comentários

Outras notícias