Black Friday Ubannet

07/05/2019 às 20h44m - Atualizado em 08/05/2019 às 07h43m

Venezuelanas são presas no Aeroporto do Recife com 6 quilos de cocaína líquida ao tentar embarcar para a Europa

Abordadas, mulheres afirmaram à PF que foram ameaçadas por traficantes para fazer o transporte. Droga estava escondida em malas.

venezuelanas_presas

Duas venezuelanas foram presas em flagrante por tráfico internacional de drogas no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre. Com elas, a Polícia Federal apreendeu cerca de 6 quilos de cocaína líquida, escondida em duas malas. As duas embarcariam para Madrid, na Espanha, e disseram que foram ameaçadas por traficantes para fazer o transporte. 

O caso foi divulgado nesta terça-feira (7). Inicialmente, a PF abordou uma mulher identificada de 22 anos, natural de Maracaibo, na Venezuela. Ela afirmou que iria para a Europa por motivo de trabalho, mas não possuía visto para isso ou qualquer contrato com empresa no continente.

Os policiais, então, verificaram a bagagem da mulher e encontraram pouco mais de 3 quilos de cocaína líquida, armazenada em plásticos transparentes.

Na mesma reserva da viagem, havia outra mulher, de 39 anos, natural de Caracas, também na Venezuela. Quando verificaram a mala dela, descobriram mais 2,7 quilos do mesmo tipo de droga, totalizando cerca de 6 quilos de cocaína. Segundo a PF, pela forma de apresentação, a droga é de origem colombiana.

As duas foram autuadas em flagrante e encaminhadas para a Superintendência da Polícia Federal, no Cais do Apolo, região central do Recife. Com elas, foram apreendidos ainda 1.134 euros e diversos documentos.

Em depoimento, as duas afirmaram que foram ameaçadas por traficantes para fazer o transporte da droga de Pacaraima (RR), de onde seguiram para o Recife e, depois, iriam para a Espanha, onde fariam a entrega a um traficante, que iria lhes contatar através de telefone celular quando desembarcassem no aeroporto de Madrid.

Ambas tiveram o flagrante convertido em prisão preventiva e foram encaminhadas para a Colônia Penal Feminina do Bom Pastor, onde ficam à disposição da Justiça Federal.

Do G1 PE

Comentários

Outras notícias